DRE: o que é, qual sua importância e como fazer essa demonstração contábil

DRE é um relatório financeiro que apresenta de forma resumida a apuração do resultado líquido de uma empresa em um determinado período. Confira!
Contadores analisando uma DRE na tela de um notebook.

DRE: No mundo dos negócios, tomar decisões estratégicas é essencial para o crescimento e prosperidade das empresas. E a Demonstração do Resultado do Exercício é uma ferramenta poderosa para entender o desempenho financeiro e a rentabilidade de um negócio.

Para aproveitar ao máximo a DRE, é importante dominar os conceitos básicos e as melhores práticas de análise. Isso inclui a correta classificação das receitas e despesas, a identificação de indicadores importantes e a extração de informações relevantes para embasar decisões estratégicas.

Neste artigo, vamos explorar o universo da DRE e fornecer orientações práticas para uma análise eficiente. Abordaremos conceitos fundamentais, como a classificação das receitas e despesas, e destacaremos indicadores chave que podem auxiliar na compreensão do desempenho financeiro da sua empresa. Continue a leitura!

O que é DRE?

A Demonstração do Resultado do Exercício, também conhecida como DRE, é um relatório contábil que revela o resultado das operações de uma empresa em um determinado período, respeitando o regime de competência. Por meio dessa importante ferramenta, é possível determinar se as atividades da empresa estão gerando lucro ou prejuízo, com base na data estabelecida.

Entre todas as demonstrações financeiras exigidas das empresas no Brasil, a DRE é aquela que possui maior frequência e variedade de uso. Neste texto, você encontrará todos os detalhes sobre essa obrigação contábil, desde a base legal que a fundamenta até os principais pontos a serem considerados em sua análise correta.

Com quantos usuários conta a DRE?

Em nossos artigos que abordam a estrutura de demonstrações financeiras, é comum discutirmos os stakeholders, ou seja, os indivíduos e entidades que têm interesse na empresa — seja por participação acionária, questões legais ou regulatórias, ou razões tributárias.

No caso da Demonstração do Resultado do Exercício (DRE), existem inúmeros usuários. Alguns deles incluem gestores, investidores, auditores, agentes de fiscalização e instituições financeiras. Isso ocorre porque, entre todas as demonstrações financeiras, a DRE é aquela que realmente mostra o desempenho operacional da empresa em um determinado período.

Importante reforçar que, de acordo com a Lei Nº 6.404/76 e a Lei N° 11.638/07, também conhecidas como Lei das Sociedades por Ações, todas as empresas exceto MEIs (Micro Empreendedores Individuais), são obrigadas a elaborar o relatório anualmente. Portanto, a DRE faz parte do cumprimento das obrigações legais da empresa e é um importante instrumento de governança corporativa.

Por lei, a DRE deve ser assinada por um contador devidamente registrado no Conselho Regional de Contabilidade. Além disso, as empresas de capital aberto devem divulgar suas demonstrações financeiras trimestralmente ou semestralmente, sendo a DRE um dos componentes obrigatórios dessa divulgação.

Um conceito paralelo: ARE Contabilidade

ARE se refere à Apuração do Resultado do Exercício, que é um dos processos mais importantes para uma contabilidade eficiente. Basicamente, esse processo contábil consiste em analisar a relação entre as entradas e saídas de dinheiro (receitas e despesas) em um determinado período, com o objetivo de estabelecer a situação financeira da empresa e fornecer suporte para tomada de decisão dos gestores.

O objetivo central da ARE é fornecer uma base transparente para que CFOs e outros líderes de uma organização possam saber se a empresa obteve lucro ou prejuízo no período contábil analisado.

Além de ser uma peça chave na gestão financeira, a ARE é uma etapa crucial para a elaboração da DRE, visto que a mesma utiliza dados extraídos da ARE para sua estruturação. Em resumo, entender o que é a Apuração do Resultado do Exercício é essencial para garantir uma contabilidade eficiente e fornecer informações precisas para a tomada de decisão dos gestores.

Qual a relação entre ARE e DRE

ARE contabilidade e DRE estão ligados e, portanto, são componentes importante para a gestão das áreas da contabilidade. Haja vista que, sem a DRE, a empresa deve comprometer sua transparência e compliance

Mas, para além da questão da obrigatoriedade, a ARE Contabilidade é útil para diferentes fins contábeis e financeiros, incluindo:

  • Estudo detalhado do cenário financeiro do negócio;
  • Conferência e conciliação dos processos de fluxo de caixa;
  • Apoio no cálculo de impostos que utilizam a DRE como fonte de dados;
  • Visão sobre lucros e prejuízos da empresa;
  • Suporte para a tomada de decisões financeiras em contextos de crise ou crescimento. 

Além disso, considerando o CPC 26, podemos citar os seguintes objetivos adicionais para a ARE Contabilidade — enquanto suporte para a DRE:

  • Apresentação de resultados: o CPC 26 (R1) estabelece que a Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) tem como principal objetivo apresentar o resultado das operações da empresa em um determinado período, de forma clara e objetiva. A ARE, por sua vez, oferece suporte para a área de contabilidade na construção da DRE.
  • Fornecer informações para análise de desempenho: ato contínuo, a demonstração apresenta informações sobre as receitas, todas as despesas e lucros da empresa, permitindo que investidores, credores, gestores e outros interessados possam avaliar o desempenho da empresa em um determinado período.
  • Facilitar a tomada de decisões: a DRE e a ARE fornecem informações importantes para a tomada de decisões, permitindo que os gestores possam identificar áreas em que a empresa está tendo bons resultados, bem como aquelas que precisam de melhorias.
  • Atender a exigências legais e regulatórias: a DRE é uma demonstração contábil obrigatória, exigida por lei para todas as empresas, e seu objetivo é fornecer informações claras e precisas sobre o desempenho financeiro da empresa. A ARE, por sua vez e como vimos, é uma das bases informacionais para essa demonstração.
  • Avaliar a eficiência e eficácia dos gestores: tanto a DRE quanto a ARE podem ser utilizadas para avaliar a eficiência e eficácia dos gestores da empresa, uma vez que ela apresenta informações sobre as receitas e despesas em um determinado período.

O que deve ter no DRE

Conforme estabelecido no artigo 187 da Lei nº 6.404/76, a DRE deve incluir:

  • I – a receita bruta de vendas e serviços, deduções de vendas, abatimentos e impostos;
  • II – a receita líquida de vendas e serviços, o CMV (custo de mercadorias vendidas), o CPV (custo de produtos vendidos), custo de serviços e lucro bruto;
  • III – despesas de vendas, despesas financeiras deduzidas das receitas, despesas gerais e administrativas e outras despesas operacionais;
  • IV – lucro operacional ou prejuízo, outras receitas e outras despesas;
  • V – resultado do exercício antes do Imposto de Renda e provisão para impostos;
  • VI – participações de debêntures, funcionários, administradores e partes beneficiárias, mesmo na forma de instrumentos financeiros, e de instituições ou fundos de assistência ou previdência de funcionários, desde que não se caracterizem como despesa;
  • VII – lucro ou prejuízo líquido do exercício e o valor por ação do capital social.

Como calcular DRE contabilidade

A estrutura da DRE, definida pela Lei n° 11.638/2007, é relativamente simples. A legislação atual estabelece que a DRE deve obrigatoriamente apresentar as seguintes informações:

  • Receita líquida;
  • Lucro bruto;
  • Resultado operacional líquido;
  • Resultado antes do Imposto de Renda e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL);
  • Resultado líquido.

Essas informações são essenciais para avaliar o desempenho financeiro e a rentabilidade da empresa. Ao analisar a DRE, os usuários podem tomar decisões estratégicas fundamentadas e entender melhor a saúde financeira da organização.

Receita líquida na DRE

O valor da receita líquida é o primeiro indicador fornecido pela DRE e pode ser calculado quando subtraímos as deduções da receita bruta.

Ou seja, é a soma de todas as receitas geradas por venda de produtos, prestação de serviços ou recebimento de royalties com a dedução dos descontos e abatimentos decorrentes da incidência de impostos sobre os produtos.

Lucro bruto

Quando subtraímos o custo dos produtos vendidos da receita líquida, temos o lucro bruto, nosso segundo indicador.

Resultado operacional líquido

O resultado operacional líquido, por sua vez, é obtido quando subtraímos as despesas com vendas, as despesas administrativas e as despesas financeiras do lucro bruto.

Resultado antes do IRPJ e da CSLL

Conforme o nome estabelece, este indicador é o resultado do cálculo antes que seja considerado o impacto dos impostos sobre a receita.

Resultado líquido

Por fim, chegamos ao resultado da Demonstração do Resultado do Exercício (DRE). Agora, consideramos o impacto do Imposto de Renda e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido, que são tributos cobrados sobre o resultado operacional.

No Brasil, em geral, o período contábil de apuração da DRE começa em 1º de janeiro e termina em 31 de dezembro. No entanto, é importante destacar que existem exceções significativas, como certas instituições financeiras ou operações de cisão, fusão ou encerramento de atividades com a devida baixa do CNPJ.

Em resumo, no dia 31 de dezembro, é necessário calcular o lucro ou prejuízo da empresa do seu cliente. Todas as contas na DRE são zeradas e o saldo líquido é transferido para o balanço em uma conta contábil de lucro ou prejuízo.

Dessa forma, no primeiro dia do próximo ano, a contabilidade começa com as contas que são representadas na DRE com saldo zero. Ao longo do ano, os lançamentos serão registrados e acumularão saldo para uma nova apuração ao final do período.

Essa sequência de encerramento e reinício da DRE permite que a empresa acompanhe o desempenho financeiro ao longo do tempo, facilitando a análise e tomada de decisões com base nos resultados obtidos. É um processo contínuo e fundamental para a gestão e o planejamento financeiro das organizações.

Qual a diferença de balanço patrimonial e DRE

Geralmente, a DRE é preparada juntamente com o Balanço Patrimonial, porém é fundamental deixar clara a diferença entre esses dois relatórios que, se avaliados dentro de uma estrutura de análise vertical, podem ter sua visualização amplamente facilitada.

balanço patrimonial é uma demonstração da situação financeira da empresa no exercício fiscal, enquanto a DRE mostra os resultados de um período específico de tempo, que pode ou não coincidir com o exercício fiscal.

O impacto disso na rotina dos profissionais em grandes empresas é que a DRE pode ser realizada muito mais vezes ao longo do ano do que o balanço patrimonial, gerando maior volume de trabalho. Por isso, é tão importante contar com o apoio de tecnologias que ajudem na automação dessas análises.

Qual a diferença entre DRE e fluxo de caixa

Já quando falamos sobre fluxo de caixa, a diferença para a DRE é que esse primeiro se trata de dados gerados em tempo real, que mostram o que está ocorrendo agora nas finanças do seu negócio, enquanto a DRE, como já vimos, mostra uma fotografia de um período passado a ser analisado. Novamente, o fluxo de caixa é algo que estará presente com muito mais intensidade nas rotinas da equipe.

Conheça a tecnologia da Dattos para automação de análises financeiras como DRE, balanço patrimonial e gestão de fluxo de caixa, e veja todo o potencial que você pode desbloquear nesses processos!

dre

Qual é o papel estratégico da DRE?

A princípio, pode parecer que a Demonstração do Resultado do Exercício é apenas uma obrigação contábil. No entanto, a importância dessa demonstração financeira vai muito além do cumprimento das exigências contábeis e fiscais.

A DRE traz o resultado do período, representado pelo somatório entre receitas, custos e despesas. Na prática, o documento funciona como uma espécie de raio X completo do negócio, revelando o que está por trás dos números e fornecendo informações essenciais à tomada de decisão do gestor.

Em suma, o domínio do seu ciclo de informações permite que você utilize a DRE para o processo decisório interno. Para tanto, contudo, é preciso que a DRE esteja sendo feita com critério técnico e rigor, seguindo a estrutura definida pela legislação vigente, e também trazendo todos os dados necessários a uma análise efetiva dos resultados da empresa.

Ou seja: se bem estruturada, a DRE pode ser a mais importante e ágil fonte de dados referentes aos KPIs financeiros e contábeis da empresa.

Neste material, veja um conteúdo exclusivo para você se aprofundar nos KPIs financeiros!

Outro aspecto importante é a possibilidade de se acompanhar o custo das vendas. Com a DRE, é possível controlar diferentes tipos de vendas e o custo delas. Essa informação pode ser usada para avaliar se as despesas estão altas ou se os preços estão baixos, podendo criar estratégias para reduzir o custo ou aumentar o preço da venda. Isso possibilita uma maior previsibilidade de caixa.

A DRE é um documento que também ajuda o stakeholder a perceber se a empresa gerará receita a longo prazo. Por isso, também deve ser considerada em decisões como entrar em novos mercados, investir em equipamentos ou tomar um empréstimo comercial.

Por fim, prever o futuro é impossível, mas planejar com dados não. Ser capaz de analisar as tendências de preços e vendas por um longo período melhora a capacidade de entender como o negócio se sairá. Isso, por sua vez, ditará os próximos passos a serem tomados.

Como se faz uma DRE

Resumimos, em um passo a passo simples e rápido, a forma como uma DRE deve ser feita, para que você tenha o registro por aí. Confira!

1. Identifique o período de referência

A DRE deve apresentar o resultado das operações da empresa em um determinado período, geralmente um ano fiscal.

2. Identifique as receitas

A primeira linha da DRE deve apresentar as receitas da empresa, que podem ser provenientes de vendas de produtos ou serviços, juros sobre investimentos, aluguéis, entre outras.

3. Subtraia as devoluções, descontos e impostos incidentes sobre as vendas

Esses valores devem ser subtraídos das receitas, para chegar à receita líquida.

4. Identifique as despesas

As despesas devem ser apresentadas em linhas separadas na DRE, incluindo despesas com salários, aluguéis, energia elétrica, água, telefone, impostos, entre outras.

5. Calcule o resultado operacional

O resultado operacional é obtido pela subtração das despesas da receita líquida.

6. Identifique as receitas e despesas financeiras

Receitas financeiras incluem juros recebidos sobre investimentos, enquanto despesas financeiras incluem juros pagos sobre empréstimos ou financiamentos.

7. Calcule o resultado financeiro

O resultado financeiro é obtido pela subtração das despesas financeiras das receitas financeiras.

8. Calcule o resultado antes do imposto de renda

O resultado antes do imposto de renda é obtido pela soma do resultado operacional e do resultado financeiro.

9. Calcule o imposto de renda e contribuição social sobre o lucro

O imposto de renda e a contribuição social sobre o lucro devem ser calculados sobre o resultado antes do imposto de renda.

10. Calcule o resultado líquido

O resultado líquido é obtido pela subtração do imposto de renda e da contribuição social sobre o lucro do resultado antes do imposto de renda.

11. Apresente a Demonstração do Resultado do Exercício para a relação da ARE contabilidade e DRE

Ao apresentar a DRE, certifique-se de seguir um formato claro e objetivo, conforme os requisitos estabelecidos pelo CPC 26 (R1), além de incluir as informações adicionais exigidas por lei. Isso garantirá uma apresentação adequada e completa dos resultados financeiros da empresa.

Qual o papel da tecnologia na gestão dos processos contábeis?

A área contábil tem se tornado cada vez mais estratégica nas empresas, e a automação é fundamental para que os profissionais tenham tempo para extrair insights importantes para o negócio. É aí que entra a Dattos, uma plataforma que ajuda CFOs e analistas financeiros a impulsionar a transformação digital em suas companhias.

Com ela, é possível centralizar processos e informações, automatizar rotinas gerenciais, ter uma visão geral do negócio, melhorar a transparência e relacionamento com o Fisco, além de reduzir riscos e custos.

A plataforma também apoia processos contábeis, como a ARE Contabilidade e DRE, automatizando grande parte dessas rotinas e reduzindo o tempo e o esforço necessários para elaborar essas demonstrações.

Soluções como a Dattos podem empoderar os times financeiros a tomarem decisões estratégicas baseadas em dados, reduzindo até 70% do tempo gasto em conciliação contábil e fiscal.

Confira nosso e-book sobre os 5 principais benefícios da automação das rotinas de fechamento financeiro para sua empresa e descubra como a tecnologia é fundamental para a gestão financeira e contábil no mercado atual. Não perca a oportunidade e bons negócios!

Como a DRE pode influenciar o mercado de títulos mobiliários?

A Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) é um documento contábil que tem como objetivo facilitar a análise da situação financeira de uma empresa. Essa análise, frequentemente realizada de forma comparativa, permite avaliar o desempenho da empresa em relação a outras empresas, mesmo que pertençam a diferentes segmentos.

A padronização da DRE possibilita a comparação em bases semelhantes, o que é fundamental para potenciais investidores. Ao analisar os dados da DRE, os investidores podem fazer comparações diretas entre diferentes empresas, o que os auxilia a tomar decisões mais assertivas na alocação de seus investimentos.

Portanto, a disponibilidade de informações padronizadas na DRE permite que potenciais investidores avaliem de forma mais precisa o desempenho das empresas e, consequentemente, tomem decisões mais embasadas e informadas na hora de investir. Isso contribui para uma alocação mais eficiente de recursos no mercado de títulos mobiliários.

Como a DRE em conjunto com a plataforma Dattos auxilia na análise financeira e na tomada de decisões estratégicas?

A Demonstração de Resultados do Exercício oferece uma visão clara e precisa da saúde do seu negócio. Com base nesses dados confiáveis, você pode tomar decisões informadas, seja identificando áreas onde é necessário reduzir gastos ou determinando se é viável reinvestir os lucros no crescimento da sua empresa.

Além disso, a DRE fornece informações estratégicas e indicadores chave de desempenho (KPIs) de forma acessível, simplificando o processo de tomada de decisões e acelerando o desenvolvimento de novas estratégias de negócios.

Com as soluções da Dattos, é possível automatizar todo o processo de geração de análises financeiras, economizando tempo e obtendo fontes confiáveis de dados. Isso permite que sua equipe contábil se torne ainda mais estratégica. Fale com a nossa equipe e transforme as suas análises com automação!

dre

Felipe Laneri

Felipe Laneri

Especialista Dattos em tecnologia e automação de preparação e análise de dados financeiros.

Deixe um comentário

Descubra que você pode mais com a Dattos

torfeu

Descubra materiais gratuitos para fazer parte do seu dia a dia

conteudo rico

Conheça cases de sucesso dos clientes que contam com a Dattos