Gestão financeira empresarial: como garantir que ela seja eficiente?

Afinal, como ter uma gestão financeira empresarial eficiente? Confira nesse guia completo que preparamos!
Homem de social observando com uma lupa suas estratégias representadas por colunas de madeira, que representam a gestão financeira

A gestão financeira pode ser vista como uma balança que busca manter em equilíbrio uma relação importante. Ou seja, os gastos e o faturamento de uma empresa, permitindo tomadas de decisão mais assertivas.

Para isso, são utilizados métodos e análises a partir de dados financeiros que envolvem alguns fatores. Tais como: fluxo e giro de caixa, saídas de estoque e vendas.

Estas ações são estabelecidas conforme a demanda de cada negócio. Assim como sua natureza e os sistemas que utiliza em seus processos de gestão.

O controle financeiro inclui também a criação de indicadores para monitorar os resultados. Bem como, para garantir que a empresa opere de forma lucrativa e sustentável.

Trata-se de um assunto amplo e exige do empreendedor domínio dos processos. Sendo esses passos fundamentais para possuírem sucesso na aplicação de uma gestão financeira eficiente.

 

Vale pontuar que seus procedimentos não são fixos, e se alteram conforme o objetivo e metas de cada negócio. Neste conteúdo, exploramos o que é gestão financeira, seus processos e como realizar uma boa gestão. Acompanhe a leitura!

Gestão financeira: por que é tão importante?

A gestão financeira se organiza sob um amplo conjunto de processos que indicam métodos eficientes para controlar as finanças da companhia. Em uma breve lista, poderíamos dizer que são partes essenciais da gestão financeira o:

  • Planejamento financeiro;
  • Definição de metas;
  • Definição de orçamento;
  • Controle de fluxo de caixa;
  • Controle do capital de giro;
  • Controle de emissão de notas fiscais;
  • Processos de conciliação;
  • Controle de estoque.


A partir destes pontos, é possível planejar e projetar um crescimento de forma saudável, aproveitando as oportunidades de investimento com metas que façam um bom uso dos recursos da empresa.

Mas não somente. A gestão financeira consegue observar os pontos de melhoria e indicar estratégias para redução de custos e aumento de produtividade.

Desta forma, o empreendimento consegue crescer e se desenvolver evitando riscos de falência – o que é uma realidade bem comum. Segundo o IBGE, 80% das micro e pequenas empresas encerram suas atividades antes de completar o primeiro ano. 

Dos 20% que conseguem superar o primeiro aniversário, 60% destas fecham antes dos cinco de funcionamento. Nesse sentido, a gestão financeira é de grande importância para a longevidade de uma organização.

Quando eficientemente realizada, consegue auxiliar na criação de um bom planejamento financeiro, levantando dados das origens de obtenção de fundos. Além destes, observe a lista de benefícios que uma boa gestão consegue agregar a um negócio:

  • Investimentos seguros e inteligentes;
  • Aumento da eficiência organizacional;
  • Redução do atraso na produção;
  • Diminuição de custos financeiros;
  • Base para tomada de decisões financeiras;
  • Obtenção de lucro máximo com custo mínimo;
  • Controle de todos os aspectos financeiros do negócio;
  • Relatórios com informações financeiras acuradas;
  • Estímulo da economia por parte dos colaboradores.

Aliás, você sabia que a gestão financeira vai além do fluxo de caixa?

Classicamente, a área financeira é aquela que lidera ações atinentes a investimentos, aplicação de capital para inovação e fluxo financeiro. Contudo, esse conceito vai muito além dos cálculos de custos e receitas.

Essa tarefa vai possibilitar um crescimento sustentável do negócio, viabilizando operações de outras áreas. Assim, investindo e se precavendo para períodos de crise e aumentando as chances de sucesso em um mercado altamente competitivo.

Para as corporações de grande porte, entretanto, essa é uma visão que pode se tornar limitada. Naturalmente, à medida que a empresa expande seus negócios, igualmente sua administração torna-se cada vez mais diversa e complexa.

Com isso, aumenta também a necessidade de se contar com algumas ferramentas que garantam o alcance das responsabilidades de um Chief Financial Officer. E assim, cubra efetivamente todas as necessidades da empresa.

Então, qual é o grande ponto de diferenciação que existe entre a gestão de finanças do middle market, e a das grandes corporações? É tudo uma questão de controle.

 

Por falar nisso, nós temos um e-book com 4 etapas essenciais para o controle de contas a pagar e a receber. Clique no botão abaixo e faça o download gratuito!

Como evitar erros na gestão financeira?

A lista de benefícios é grande, mas para obtê-los é preciso evitar uma série de práticas que podem causar diversos prejuízos a uma empresa, que podem ser sentidas em curtos ou longo prazo.

Como vimos, uma gestão financeira falha pode comprometer inclusive a continuidade de uma empresa no mercado. Outro problema é a inadimplência, capaz de afetar a relação com fornecedores.

Como consequência, o aumento de dívidas num contexto de estagnação de crescimento e lucratividade também podem levar à falência. Problemas constantes no processo de gestão são geralmente oriundos da falta de conhecimento.

Pouco uso da tecnologia e falta de mão de obra especializada são alguns exemplos. Pensando nisso, para que você possa controlar a gestão financeira de sua empresa de modo eficaz, separamos alguns pontos que devem ser evitados no seu negócio.

Despesas desnecessárias

Quando tratamos de despesas desnecessárias, é importante ressaltar a importância de definição de prioridades.

Para evitar esse cenário, avalie investimentos que tenham um bom custo-benefício e estejam alinhados com sua estratégia de crescimento.

É importante compreender que a falta de avaliação sobre os custos do negócio pode contribuir com gargalos consideráveis. Muitos deles, capazes de afetar o equilíbrio de uma empresa.

Falta de controle orçamentário

Um orçamento bem executado ajuda a mitigar os exemplos dados no item anterior. Além disso, quando essa atividade não é realizada de forma analítica e planejada, outras questões podem passar despercebidas.

 

Dessa forma, a empresa perderá o controle sobre suas entradas e saídas. Um bom controle orçamentário pode apoiar tomadas de decisão mais inteligentes e que não comprometam o caixa de sua empresa.

Misturar finanças pessoais com as da empresa

Mais visto em pequenos negócios, a combinação das finanças pessoais com as da empresa não traz bons resultados. Geralmente, há equívocos com os recebíveis, e empreendedores inexperientes acreditam que essas entradas são lucros.

Por isso, é necessário manter uma distinção, separar as contas, as entradas e as saídas. Assim, evitando assim maiores riscos sobre a continuidade do negócio.

Falta de controle contínuo na gestão financeira

A desorganização dos processos provoca instabilidade no controle da empresa sobre sua gestão financeira.

Dessa forma, os prejuízos podem até afetar a fiscalização da empresa em auditorias. Sem uma organização e análise de desempenho contínua, não é possível identificar dinheiro parado, ou gastos desnecessários.

Por isso, as etapas de uma gestão financeira precisam ser executadas continuamente, de preferência com auxílio de soluções tecnológicas. Sendo assim, levante diariamente todas as informações necessárias, registre e acompanhe os relatórios.

 

O controle contínuo é uma das premissas do Continuous Accounting. Faça o download gratuito do nosso e-book para saber mais sobre o assunto!

Não controlar o estoque

O controle de estoque gera dados importantes para gestão. Ele demonstra quais produtos possuem maior ou menor rotatividade, quando investir em compras e em promoções na empresa.

Além disso, vender um produto que está esgotado pode alterar a data de entrega e impactar negativamente na relação com cliente. É com as informações de estoque que a empresa vai se planejar, realizar orçamentos de compras.

Assim, sempre buscando o melhor preço e o melhor momento para isso. Consequentemente, quando não há um bom controle de estoque, é possível tomar uma decisão que compromete o caixa do negócio. Com isso, gerando prejuízos irreversíveis a longo prazo.

Desconhecer a realidade financeira da empresa

Conhecer a realidade das finanças da empresa é imprescindível para realizar uma boa gestão financeira. Estas informações darão base para tomadas de decisões.

 

Caso não sejam feitas de maneira eficiente, pode afetar os recursos da empresa. Inclusive no endividamento com compromissos recorrentes, como folha de pagamento.

Quais são os riscos da falta de planejamento e gestão financeira?

Uma gestão financeira ineficiente pode gerar uma série de gargalos, inconsistência e comprometer a governança corporativa da organização. O primeiro ponto que podemos citar é o não conhecimento da saúde financeira da empresa.

Uma vez que isso ocorra, todos os próximos passos se tornam de risco. Afinal, qualquer ação pode implicar de forma negativa o financeiro. Assim, gerando endividamento e aumento nas despesas.

O próximo é a perda da previsibilidade de caixa. Quando não há controle sobre o quanto a empresa terá de entradas e saídas, as ações de expansão ficam limitadas. O que faz com que a empresa perca oportunidades de expansão e investimento.

Além disso, uma gestão financeira desorganizada e sem planejamento expõe a companhia a uma série de problemas. Entre eles, imprevistos, riscos fiscais e toda sorte de problemas alinhados com a falta de visão estratégica. 

 

Nos piores cenários, isso pode fazer com que a empresa perca a competitividade e até a tire do mercado. Para evitar esses riscos, faça o download gratuito do nosso e-book para entender como tornar os times contábeis e fiscais mais ágeis e produtivos!

Como fortalecer a compliance com uma gestão financeira inovadora?

Com o suporte de uma visão inovadora e a implementação de boas ferramentas, a gestão financeira ganha velocidade, eficiência operacional e fortalece as políticas de compliance de uma companhia.

O compliance envolve o uso de controles para que as normas internas e externas à organização. Assim, incluindo políticas, leis e regulamentos normativos — sejam seguidas com rigor.

Por sua vez, o uso de plataformas e softwares para a gestão financeira assegura que a empresa siga todas as normas fiscais e contábeis do país. Assim, aumentando seu poder de governança corporativa.

Como melhorar a gestão financeira?

Agora que você já conhece os principais pontos de atenção da gestão financeira, confira algumas dicas para melhorar os processos de sua empresa!

Analise o cenário

Conhecer a realidade financeira da empresa é a base para se ter um controle e gestão nessa área. Essas informações mostrarão quais pontos merecem atenção e necessitam de uma estrutura mais eficiente para a diferenciação de mercado.

 

Tal processo envolve tanto uma análise interna (entradas, saídas, histórico de faturamento, a lucratividade, as despesas e o fluxo de caixa). Bem como, um estudo externo dos indicadores econômicos, realidade do seu segmento e concorrência.

Revise processos básicos

Para que a área financeira siga de forma saudável e garanta a melhor utilização dos recursos da empresa, é preciso estabelecer parâmetros para cada um de seus processos. 

Nesse sentido, o ideal é revisar os processos. Inclusive por meio da implementação de rotinas automatizadas e estruturação dos indicadores de gestão. O controle de custos, por exemplo, se encaixa como uma rotina que merece um olhar mais cuidadoso dos CFOs.

Essa atividade é responsável por mapear todos os gastos ao longo de um período, sejam eles fixos ou variáveis. O fluxo e as projeções de caixa são outra etapa importante. Por meio desses passos a receita ficará sempre equilibrada com as despesas, sem afetar o capital de giro do negócio.

Selecione indicadores de desempenho​

Um bom gestor precisa acompanhar o desempenho de todas as partes que envolvem a gestão financeira de uma empresa. Uma boa forma de fazer isso é selecionar indicadores.

Eles devem ser selecionados a partir das demandas e metas do negócio. Além disso, eles precisam ser fáceis de contabilizar, para que o acompanhamento de dados seja feito de modo eficiente. 

Por exemplo, o faturamento pode ser um dos indicadores. Para isso, basta somar todos os recebíveis, sejam eles à vista ou a prazo. O lucro líquido também pode entrar na lista. Uma vez que indica o valor final do faturamento, após a subtração dos custos e despesas totais.

Outro indicador importante é o orçamentário. Nele é possível observar o que será gasto, quanto de recurso possui disponível para isso. Bem como, quais são as despesas não previstas, o que são e por que estão acontecendo.

Temos também os indicadores de lucratividade. Nada mais é do que um dado que vai revelar se o negócio teve prejuízo ou lucro em um determinado tempo. 

Geralmente, este valor é dado em percentual, e é dado pela relação entre o lucro líquido e o valor total das vendas. Assim, o importante ao definir indicadores de gestão financeira é saber o que sua empresa precisa acompanhar de modo detalhado. Seja em um fluxo recorrente ou pontual. 

 

Quer saber mais sobre indicadores importantes para a empresa? Então, faça o download gratuito do nosso e-book e entenda por que é essencial acompanhar os KPIs financeiros!

Fique atento aos processos de conciliação

Os processos de conciliação são determinantes para oferecer uma visão minuciosa das movimentações financeiras de uma empresa.

Eles consistem, basicamente, no registro e acompanhamento dos dados das transações comerciais feitas por uma empresa. Assim, podem ser subdivididos em diferentes rotinas:

  • Conciliação contábil;
  • Conciliação fiscal;
  • Conciliação dos meios de pagamentos;
  • Conciliação bancária;
  • Conciliação de recebíveis.  


Atualmente, é possível contar com soluções robustas capazes de garantir que a conciliação financeira seja um caminho objetivo para o crescimento do seu negócio.

Invista na automatização da gestão financeira

Por isso mesmo, para uma boa gestão financeira, é importante contar com novas tecnologias que apoiem seu time de colaboradores.

A Dattos, por exemplo, oferece ao mercado soluções para gestão de processos e análise de dados financeiros. Desse modo, automatizando suas rotinas contábeis, fiscais e de conciliação.

 

Com a nossa plataforma, você consegue:

  • Ter uma visão geral do seu negócio com uma plataforma que potencializa e acelera o processo de análises financeiras de empresas;
  • Automatizar seus processos e, consequentemente, ganhar agilidade e inteligência nas rotinas gerenciais;
  • Contar com um acompanhamento contínuo das finanças de sua empresa, favorecendo o equilíbrio e controle; 
  • Reduzir riscos, custos e tornar seu departamento financeiro estratégico e ágil com segurança e qualidade dos dados.

Portanto, a gestão financeira de uma empresa leva em consideração muitas variáveis.  Por isso, para fortalecer seu setor financeiro, vale a pena aplicar as estratégias que elencamos neste artigo.

Lembre-se que uma boa gestão financeira é uma ferramenta estratégica. Ela tem como base informações confiáveis e periodicamente averiguadas para identificar pontos de melhoria. Indicando os caminhos de crescimento do seu negócio!

 

Para tanto, é indispensável dispor de uma plataforma de conciliações. Para saber mais sobre como esse tipo de tecnologia pode apoiar a sua operação, assista o vídeo explicativo abaixo!

Picture of Felipe Laneri

Felipe Laneri

Especialista Dattos em tecnologia e automação de preparação e análise de dados financeiros.

Deixe um comentário

Descubra que você pode mais com a Dattos

torfeu

Descubra materiais gratuitos para fazer parte do seu dia a dia

conteudo rico

Conheça cases de sucesso dos clientes que contam com a Dattos